21/04/2021

APÓS SUCESSIVAS DENÚNCIAS, TELMA EXIGE FIM DA FALTA DE MÉDICOS E SUPERLOTAÇÃO NAS UPAS

Há dois anos, a presidente da Comissão Parlamentar de Saúde chegou a propor a criação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar os serviços prestados pelas Organizações Sociais nas três UPAs de Santos

Superlotação, falta de médicos e enfermeiros, aglomerações, horas de espera, mau atendimento, falta de remédios, e até a possibilidade de erro médico. Os problemas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Central, Zona Noroeste e Zona Leste só aumentam e trazem prejuízos à saúde dos moradores de Santos. Indignada, a vereadora Telma de Souza denunciou o mau atendimento nas UPAs na sessão de terça-feira (20), exigindo a melhoria dos serviços.

Os problemas têm se agravado com a pandemia de Covid-19 e o surto de dengue e chikungunya em Santos. “Temos muitas ações negativas acontecendo nas UPAs. Faltam médicos, remédios e temos superlotação e filas imensas”, pontua Telma.

Para a vereadora, manter as Unidades de Pronto Atendimento do Município terceirizadas, sob gestão das Organizações Sociais (OSs), é um erro. Telma relata que elas não priorizam o atendimento humanizado, quebram vínculos das equipes técnicas com os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e não apresentam transparência na gestão.

Presidente da Comissão Parlamentar de Saúde, Telma denuncia a necessidade de melhoria no atendimento nas unidades de urgência e emergência há muito tempo. Em 2019, por exemplo, Telma propôs a criação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar os serviços prestados pelas OSs nas UPAs. O objetivo era apurar as suspeitas de negligências e os problemas de gestão. A instalação da CEI não se concretizou porque faltaram assinaturas para o seu andamento. 

“As OSs são terceirizadas e recebem recursos financeiros expressivos para fazer a gestão das UPAs. O serviço que apresentam não é compatível com o montante aplicado e a qualidade no atendimento é inferior ao prestado pelos servidores públicos”, avalia a ex-prefeita de Santos.
 
Nos últimos dois meses, Telma questionou o Executivo sobre a falta de prioridade para idosos e um suposto erro médico na UPA Zona Leste, a falta de encaminhamento para tratamento de dengue e chikungunya na UPA Zona Noroeste e a superlotação, falta de remédios e a falta de médicos em todas.

"Isso não pode continuar assim. Estamos em tempo de pandemia. Muitas pessoas estão indo a óbito e precisamos exigir da Prefeitura um outro comportamento com as nossas UPAs. Basta de filas e de falta de médicos nas UPAs de Santos”, ressalta Telma.

Leia também

SAÚDE, EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA: TELMA APRESENTA 110 DAS 200 EMENDAS AO ORÇAMENTO.

Ver mais

TELMA QUESTIONA RETORNO DOS SERVIDORES DE TRABALHO REMOTO ANTES DA SEGUNDA DOSE

Ver mais

TELMA COBRA INTERVENÇÕES ESTRUTURAIS NO CONJUNTO SANTOS “O”

Ver mais