03/12/2018

CÂMARA APROVA UTILIDADE PÚBLICA DA ESCOLA DE SAMBA BRASIL

A Escola de Samba Brasil agora detém o título de Utilidade Pública Municipal. A aprovação para a emissão do documento foi requerida pela vereadora Telma de Souza, por meio do projeto de lei 237/2018 , e confirmada pela Câmara Municipal nesta segunda-feira (03/12). A certificação vai facilitar a formalização de parcerias entre a agremiação e o Poder Público. O texto aprovado agora segue para a sanção do prefeito municipal. 

O título de Utilidade Pública reconhece que entidades prestam serviços relevantes à sociedade e, também, permite que a entidade possa reivindicar, nos órgãos competentes, isenção de contribuições destinadas à seguridade social, liberação de pagamento de algumas taxas, e ainda ter credibilidade para que possa captar verbas destinadas à continuidade do trabalho social e educativo desenvolvido em prol do bem comum. Uma das exigências é que a entidade não tenha fins lucrativos e os seus diretores não sejam remunerados.

Próxima de completar 70 anos de funcação, a Brasil ainda não contava com este tipo de declaração. A agremiação - oriunda do Macuco e radicada no BNH da Aparecida - a Campeoníssima, como é conhecida, desenvolve projetos assistenciais e culturais, especialmente para a sua comunidade.

No entanto, a escola de samba é reconhecida especialmente por sua trajetória carnavalesca. Octacampeã do Carnaval Santista - títulos conquistados seguidamente -, a agremiação soma 16 campeonatos em sua história. Somam-se a eles o título de Campeã da Festa da Uva em 1953, disputado em Jundiaí, e que reuniu as principais escolas de samba do estado de São Paulo e do Rio de Janeiro. Mais ainda: a Brasil é a única agremiação fora da Capital a conquista o troféu do Carnaval Paulistano, em 1954, o troféu do IV Centenário.

Moradora do bairro da Aparecida, Telma - que entregou o o troféu de 1991 quando a Brasil foi campeã com o enredo Mãe África - destacou, em seu projeto, as personalidades que ilustraram o pavilhão da escola de samba, como Dona Carminda (fundadora), Vadico e Tia Isaurinha (casal de presidentes), Cabo Laurindo; os mestres de bateria Manezinho, Aurélio "Ino", Cara de Gato, Paulão e Binho (atual mestre); os baluartes Acácio, Mandrake, Mesquita e Lourival; a lendária porta-bandeira Benedita e o porta-estandarte Abelardo; Deise dos Santos, a Darci, primeira intérprete mulher do País e que não precisava de microfone; além do casal de mestre-sala e porta-bandeira nota 10 Lídia e Chocolate; entre tantos outros.

Leia também

CÂMARA PRESTA HOMENAGEM AOS 15 ANOS DA UNIFESP BAIXADA SANTISTA

Ver mais

TELMA PROPÕE CRIAÇÃO DE  PASSE LIVRE PARA ESTUDANTES

Ver mais

TELMA REALIZA SESSÃO SOLENE EM HOMENAGEM AO DIA DE ALLAN KARDEC

Ver mais