06/07/2004

Greco: Uma coalizão baseada em idéias comuns de inclusão social e meio ambiente

O candidato à vice-prefeito da coligação "Santos por Santos" é o promotor público Pablo Perez Greco, do Partido Verde (PV).  Nascido em Santos, e atuando no Ministério Público há 16 anos, ele é formado em Direto e História pela Universidade Católica de Santos. Já atuou no Ministério Público nas áreas de Meio Ambiente, Criança e Adolescente, Direitos do Consumidor e Defesa da Cidadania em várias cidades do Interior paulista. Em seu trabalho sempre se preocupou em estabelecer parcerias com as administrações locais, câmaras de vereadores e sociedade civil. Atualmente atua na Justiça Criminal de Santos. Também foi presidente da Atlética da Faculdade de Direito da UniSantos e ocupou cargos no Diretório Acadêmico. Greco tem 49 anos, é casado e reside no bairro do Campo Grande. Leia a entrevista:Pergunta - Como o senhor define sua candidatura a vice-prefeito na chapa de Telma?Pablo Greco - É uma integração baseada em idéias comuns sobre inclusão social e respeito ao meio ambiente. A partir de minha experiência de 15 anos na Promotoria do Meio Ambiente, acredito poder contribuir com a administração municipal de várias maneiras, em especial quanto aos entraves que muitas vezes prejudicam a implantação de projetos, simplesmente porque não se adotaram os procedimentos legais exigidos pela legislação ambiental. Pergunta - O senhor poderia esclarecer melhor isso?Pablo Greco - Queremos impedir que projetos que realmente gerem desenvolvimento auto-sustentado enfrentem obstáculos porque não cumpriram a legislação. E qual o caminho para isso? Orientaremos os responsáveis pelos projetos a fazerem antecipadamente as consultas necessárias aos órgãos competentes e a adotarem os procedimento recomendados, de maneira a se evitarem problemas no futuro.Pergunta - O senhor poderia explicar um pouco mais o conceito de conceito de desenvolvimento auto-sustentado aplicado ao caso de Santos?Pablo Greco - É um trabalho a longo prazo. Vamos buscar um exemplo concreto. É inconcebível falar de turismo, como alternativa de geração de renda e empregos, com praias poluídas. Então, temos de garantir, em primeiro lugar, a balneabilidade das praias, hoje novamente ameaçada, para viabilizar um projeto de turismo consistente, seja ele de lazer ou de negócios. Ainda nessa área, podemos pensar o turismo de forma metropolitana. Dispomos, por exemplo, de vários monumentos históricos não só em Santos, mas em Cubatão, São Vicente, Guarujá. Quanto ao turismo mais abrangente, devemos também pensar sob a ótica metropolitana. Precisamos de um projeto turístico integrado, baseado em nossos próprios recursos.Pergunta - Nas eleições municipais de 96, o PV apresentou candidato próprio; em 2000, ofereceu o vice na chapa do PSDB. Agora, depois de anunciar que o senhor disputaria a Prefeitura, fez uma aliança com o PT, justamente em um momento em que o PT, no Governo Federal, parece ter abandonado a defesa das políticas de inclusão social. Como o senhor vê tudo isso?Pablo Greco - Repito que minha aliança com a Telma deve-se a uma afinidade de objetivos a respeito da inclusão social. Entendo que é hora de colocar em prática vários projetos comuns para cidade. Quanto às políticas do Governo Federal, em especial a econômica, a responsabilidade de gerenciamento cabe obviamente ao Governo Federal. Mas eu moro em Santos, não em Brasília. A Telma também não vai traçar diretrizes de política macroeconômica de âmbito nacional. Contudo, penso que, na Prefeitura, teremos condições de melhorar o nível de cidadania da população de Santos.

Leia também

SARAMPO: TELMA COBRA AMPLIAÇÃO DA COBERTURA VACINAL 

Ver mais

TORTO MPBAR RECEBE HOMENAGEM NA CONCHA ACÚSTICA

Ver mais

DEPOIS DE COBRANÇA DA TELMA, PREFEITURA ANUNCIA FORÇA-TAREFA PARA ESCADARIA DO MONTE SERRAT

Ver mais