13/07/2004

Livro lançado em Bangcoc aponta pioneirismo santista no combate à AIDS

Dia 15 de julho, durante a XV Conferência Internacional sobre AIDS, em Bangcoc, Tailândia, será lançado um livro, onde especialistas e ativistas do mundo todo alertam sobre a necessidade de se tratarem os usuários de drogas injetáveis, vítimas da epidemia de AIDS, como qualquer outro paciente. De acordo com os técnicos, esses pacientes são duplamente discriminados e  não estão tendo acesso aos benefícios disponíveis para os demais segmentos de soropositivos. Dos 38 milhões de casos de AIDS no planeta Terra, 10% ocorrem entre usuários de drogas injetáveis. Fora do continente africano, uma em cada três novas infecções acontece entre esse tipo de dependente químico.O livro traz relatos dramáticos, como os da própria Tailândia, onde usuários de drogas são forçados à tratamento, suas famílias perseguidas e o governo não fornece instrumentos essenciais como a metadona - um substituto da heroína (motivo de denúncia na abertura da Conferência) e não oferece o coquetel anti-Aids. Estão incluídos também casos da Rússia, dos Estados Unidos, da Colômbia e de diversos outros países.O destaque positivo é um artigo do médico brasileiro Fábio Mesquita, precursor da estratégia de redução de danos no Brasil. Mesquita faz um retrospecto desde o momento em que a Prefeitura da cidade de Santos (SP), comandada pela então prefeita Telma de Souza e tendo como secretário de Saúde o também médico David Capistrano Filho, implantou a distribuição de seringas; a prefeita e o secretário foram, na época, processados pelo Ministério Público. Pouco depois, contudo, essa estratégia tornou-se política nacional e foi decisiva para controlar a epidemia de Aids entre usuários de drogas na maior parte do Brasil.Um dos prefácios do livro é assinado pela própria deputada federal Telma de Souza (PT-SP), hoje coordenadora da Frente Parlamentar de Luta Contra a AIDS do Congresso Nacional. O livro lembra ainda que a administração municipal de Santos comprou o primeiro AZT com dinheiro público e, posteriormente, já no governo do sucessor de Telma de Souza, o prefeito David Capistrano Filho, foi responsável pela aquisição pública do primeiro coquetel anti-Aids. A publicação, editada em inglês e russo, terá mil cópias distribuídas gratuitamente na Conferência de Bangcoc. Deverá chegar ao Brasil ao final de julho.

Leia também

SARAMPO: TELMA COBRA AMPLIAÇÃO DA COBERTURA VACINAL 

Ver mais

TORTO MPBAR RECEBE HOMENAGEM NA CONCHA ACÚSTICA

Ver mais

DEPOIS DE COBRANÇA DA TELMA, PREFEITURA ANUNCIA FORÇA-TAREFA PARA ESCADARIA DO MONTE SERRAT

Ver mais