17/12/2012

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ANISTIA VEREADOR JOÃOZINHO DO INSTITUTO

A Turma da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça reconheceu os erros do passado e anistiou o ex-presidente da Câmara de Santos João Inácio de Souza, o Joãozinho do Instituto (PTB). Eleito pela primeira vez em 1952, Joãozinho do Instituto foi cassado quando exercia a presidência da Casa, em 1964. A Câmara de Santos já foi notificada da decisão, que, postumamente, restitui seus direitos políticos.

Joãozinho do Instituto trabalhou como estivador no Porto de Santos e foi funcionário do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Empregados em Transportes e Cargas (Iapetec), que agregava os trabalhadores avulsos do Porto. O Ministério da Justiça enviou um pedido oficial de desculpas, em nome do Estado Brasileiro, dirigido à família e ao ex-vereador.

Joãozinho foi vereador por quatro legislaturas (1952-1955; 1956-1959; 1960-1963; 1964-1967), mas acabou cassado em junho de 1964, quando exercia a presidência da Câmara, perdendo direitos políticos e trabalhistas, somente agora reconquistados, de forma simbólica, 41 anos depois de sua morte precoce, aos 50 anos de idade, em 1971.

Joãozinho do Instituto foi casado com Hilda Augusto de Souza, também ex-vereadora de Santos (de 1969 a 1973), com quem teve Telma Sandra Augusto de Souza, professora, advogada e prefeita de Santos  entre 1989 e 1992, hoje deputada estadual pelo PT. Telma foi a autora do pedido de anistia Post Mortem.
 
O ex-vereador dá nome a uma escola municipal no Jardim Rádio Clube com cerca de 200 alunos dos ensinos Infantil e Fundamental, inaugurada em 1991 pela prefeita Telma de Souza. 

Leia também

CÂMARA PRESTA HOMENAGEM AOS 15 ANOS DA UNIFESP BAIXADA SANTISTA

Ver mais

TELMA PROPÕE CRIAÇÃO DE  PASSE LIVRE PARA ESTUDANTES

Ver mais

TELMA REALIZA SESSÃO SOLENE EM HOMENAGEM AO DIA DE ALLAN KARDEC

Ver mais