15/05/2021

PROJETO INCENTIVA CINEMA DE RUA E PODE AFASTAR RISCO DE FECHAMENTO DO ROXY

Afastar o risco de fechamento do último cinema de rua de Santos e reconhecer a sua importância para a cultura da Cidade são objetivos do Projeto de Lei apresentado pela vereadora Telma de Souza, na Câmara Municipal. A propositura prevê a isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para os cinemas de rua, que, em troca, deverão apresentar contrapartidas socioculturais.

“O Cine Roxy é um ícone da resistência cultural na Cidade. O risco de fechamento por causa da crise que atingiu o setor devido à pandemia mobilizou toda a sociedade em sua defesa. Até uma vaquinha virtual foi realizada. Os recursos levantados afastaram o risco temporariamente, mas é preciso garantir sua permanência. O Poder Público pode e deve agir para preservar a sua história”, explica Telma.

A vereadora argumenta que o funcionamento das salas de rua tem reflexo em todo o seu entorno. “Não por acaso, o bairro do Gonzaga era conhecido como a Ceilândia e passou por um período de decadência com o fechamento dos cines Iporanga e Indaiá. A sua recuperação teve início justamente a partir da revitalização do Roxy”, recorda. 

Em 2003, o Cine Roxy foi todo modernizado e a antiga sala com 1.400 lugares se transformou no moderno complexo de cinco salas, considerado o primeiro multiplex de rua do País.

Depois de 87 anos de funcionamento, o Roxy vive o seu momento mais difícil e corre o risco de fechar. A pandemia atingiu todos os setores e foi ainda mais incisiva sob o de artes e espetáculos. As salas ficaram fechadas por sete meses e, mesmo com a reabertura, o movimento é muito pequeno.

“Muitas contrapartidas previstas na lei já são realizadas pelo Roxy, como a distribuição de ingressos, a cessão de espaços e o fomento à produção cinematográfica regional. Mas é necessário institucionalizá-la e estabelecer compensações do Poder Público. Esse é um modelo de legislação adotado em outras cidades, como São Paulo e Niterói”, pontua a parlamentar.

Telma também justifica que a lei não tem praticamente nenhum impacto financeiro para o Município e pode, inclusive, significar o início de um processo de incentivo para que outros cinemas e teatros de rua possam se instalar na Cidade.

Leia também

SAÚDE, EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA: TELMA APRESENTA 110 DAS 200 EMENDAS AO ORÇAMENTO.

Ver mais

TELMA QUESTIONA RETORNO DOS SERVIDORES DE TRABALHO REMOTO ANTES DA SEGUNDA DOSE

Ver mais

TELMA COBRA INTERVENÇÕES ESTRUTURAIS NO CONJUNTO SANTOS “O”

Ver mais