16/06/2020

TELMA COBRA REGULARIZAÇÃO DOS REPASSES ÀS ENTIDADES ASSISTENCIAIS

Muitas instituições, como o Gapa, correm o risco de interromper suas atividades por falta de recursos 

Sensibilizada com a queda de receita das entidades assistenciais neste período de pandemia mundial da Covid-19, a vereadora Telma de Souza cobrou a Prefeitura de Santos sobre a regularização no pagamento dos repasses a estas instituições. De acordo com denúncias recebidas pela parlamentar, muitas não recebem os aportes desde março. O Grupo de Apoio e Prevenção à Aids (Gapa), após 32 anos de atividades, é uma das instituições que estão em risco de paralisação. 
 
As entidades perderam o apoio de grande parte de seus beneméritos, muitos impactados pela crise econômica agravada com a pandemia do novo coronavírus. A situação aumenta a necessidade destas organizações contarem com o aporte financeiro de recursos públicos. A ex-prefeita de Santos ouviu relatos de dirigentes que precisaram demitir funcionários e sobre a dificuldade em prestar atendimento a quem mais precisa.

O Gapa, por exemplo, aguarda que a Prefeitura libere emendas parlamentares indicadas pela vereadora Telma de Souza e outros edis que, somadas, totalizam R$ 200 mil. A entidade recebeu informações que o processo está na Secretaria Municipal de Finanças desde abril. A instituição precisa do recurso para manter a destinação de 50 cestas básicas mensais para beneficiários portadores de HIV. Devido à pandemia, o bazar do Gapa ficou de portas fechadas, as doações caíram e o atendimento psicológico está sendo feito de forma remota.
 
A ausência de recursos também está ecoando no estoque das entidades. A falta de alimentos para seus beneficiários já é uma realidade. Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, a vereadora alerta que as instituições precisam estar a pleno vapor para colaborar com o poder público no atendimento da população mais vulnerável. “Os recursos suspensos devem ser liberados o quanto antes. E os aportes futuros precisam ser antecipados. Neste momento, é uma medida estratégica”, pontua Telma.
 
A parlamentar defende que o Governo Municipal interceda junto a empresários para que disponibilizem recursos para colaborar com as instituições. Presidentes de algumas entidades pedem a destinação de cestas básicas para manter a alimentação de pessoas carentes.
 
“Muitas entidades estão prestes a fechar suas portas e interromper suas atividades por tempo indeterminado, correndo o risco de encerrarem os trabalhos para sempre. Com a Covid-19, a arrecadação caiu, é impossível realizar eventos que juntam pessoas, não haverá a participação na Festa Inverno Santos e ainda há esta denúncia de que a Prefeitura suspendeu repasses desde março. Estou cobrando esclarecimentos e medidas urgentes”, pontua Telma.
 
O número de entidades que estão com os repasses em atraso foram questionados pela vereadora em requerimento. Telma também quer saber o motivo da suspensão, o valor total em atraso, o prazo para regularização e se haverá a possibilidade de o Governo Municipal cumprir outras solicitações do segmento, como a intercessão junto ao empresariado, a antecipação de receitas e a destinação de cestas básicas.

Leia também

TELMA DEFENDE 5% DO ORÇAMENTO MUNICIPAL PARA ASSISTÊNCIA SOCIAL

Ver mais

PRIMEIRAS VACINAS DE DOSE ÚNICA CHEGAM PARA A POPULAÇÃO DE RUA DE SANTOS

Ver mais

PRESIDENTE DA COMISSÃO DE SAÚDE AFIRMA: “DESORGANIZAÇÃO DA VACINAÇÃO EM SANTOS SERÁ DENUNCIADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO”

Ver mais