05/02/2019

TELMA PROPÕE PLANO EMERGENCIAL CONTRA ENCHENTES

Ruas e avenidas alagadas, casas submersas, queda de muros e árvores, deslizamentos nas encostas dos morros, famílias desabrigadas, risco constante à saúde pública, prejuízos materiais e morais aos estabelecimentos comerciais e pessoas físicas e trânsito parado. A calamidade pública provocada após o excesso de chuvas entre domingo (3) e segunda-feira (4), que vem se repetindo com frequência, foi determinante para que a vereadora Telma de Souza propusesse a criação do Plano Emergencial contra Enchentes.

A reincidência dos transtornos em pontos conhecidos, prejudicando, sobretudo, a população mais pobre e vulnerável, é ressaltada por Telma em requerimento, justificando a necessidade de ações a curto prazo. “O alto índice pluviométrico não pode ser justificativa para que as pessoas paguem, muitas vezes, com a própria vida. A Prefeitura sabe quais são as áreas mais sensíveis e, consequentemente, que passam por riscos maiores. É tragédia anunciada! É preciso agir. Já não é a primeira vez que proponho a realização de um plano emergencial sobre este tema”.

De acordo com a parlamentar, ações estruturais, de maior relevância e investimento, devem ser feitas, mas demoram anos para serem concluídas e a população não pode esperar, por isso a Administração Municipal necessita de agilidade em suas ações. “São trabalhos paralelos, que devem caminhar juntos. As intervenções estruturais são mais que necessárias, mas há situações de extrema urgência que necessitam de respostas rápidas. Não é novidade para ninguém que, nos últimos anos, pontos que não sofriam com enchentes hoje vivem submersos a cada chuva. Há algo errado!”.

No requerimento da vereadora, são propostas, junto à criação do Plano Emergencial, a retomada do programa “Bairros em Ordem”, realizado no Governo Telma de Souza (1989-1992), com a integração entre setores do serviço público para a limpeza e manutenção constante de ruas, galerias e divulgação de prazos e cronogramas para a população; a intensificação da limpeza e desassoreamento dos canais e a manutenção emergencial das comportas, até que sejam trocadas, como já anunciado pelo Governo Municipal.

O planejamento sobre o assunto ganha destaque na solicitação, quando Telma ressalta a necessidade de apresentação de estudo contendo pontos de alagamentos de cada bairro, com causas, impactos e soluções. “Não é possível que a Prefeitura não possa fazer esta radiografia e diminuir os impactos das chuvas”, reforça.

VLT – Telma cobra ainda a apresentação de estudos de avaliação dos impactos das obras para a construção da malha viária do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o que pode ter resultado no surgimento de novos pontos de alagamentos. A parlamentar questiona se algo vem sendo feito para cobrar os devidos reparos dos responsáveis pela obra.

Leia também

AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE CAVA SUBAQUÁTICA NESTA SEXTA (15/2)

Ver mais

TEM INÍCIO O 14º CORTEJO QUILOA

Ver mais

CÂMARA APROVA OBRIGATORIEDADE NA TRANSPARÊNCIA DOS RADARES

Ver mais