11/01/2019

TELMA SOLICITA SUSPENSÃO DO REAJUSTE DA TARIFA

A vereadora Telma de Souza (PT) encaminhou requerimento ao prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), nesta sexta-feira (11), solicitando a suspensão do reajuste da tarifa de transporte público no Município. O anúncio de aumento do preço da passagem, previsto para subir de R$ 4,05 para R$ 4,30 no próximo domingo (13), durante período de recesso parlamentar, pegou a população de surpresa. O tema não foi debatido com a sociedade e não passou pela Câmara Municipal.

O fato do reajuste apresentar percentuais de 6,2%, acima da inflação do período, que registrou 4,05%, deixou a parlamentar indignada. “A prática de liberar o aumento acima da inflação é recorrente. Em três anos, a tarifa deu um salto de R$ 3,25 para R$ 4,30. Somente em 2017 o reajuste foi de 18,4%. Do que se trata? Esses aumentos destoantes da realidade inflacionária já provocaram, inclusive, uma batalha jurídica. O preço da passagem é um peso no bolso do trabalhador, o maior prejudicado com uma medida como esta”, ressalta Telma.

Para conceder o reajuste, há justificativas como o valor do combustível, o pagamento do dissídio dos funcionários da empresa responsável pelo serviço de transporte público e o aumento de insumos, mas há dificuldade para comprovação de tais dados. 

Em maio do ano passado, durante a greve dos caminhoneiros, o Governo Federal definiu a redução no preço do combustível e a vereadora Telma apresentou requerimento propondo a redução do preço da tarifa, o que não ocorreu. Se não bastasse, o serviço de transporte público de Santos ainda apresenta problemas como longa espera nos pontos, superlotação das linhas nos horários de pico, oscilação negativa do wi-fi e a frota não é 100% climatizada. Além disso, o preço da passagem não justifica os trajetos reduzidos.

“No primeiro ano deste meu mandato no Legislativo, apresentei o Projeto de Lei 18/2017, exigindo a realização de audiências públicas antes do Executivo autorizar qualquer reajuste de tarifas na Cidade. O objetivo é dar mais transparência a todo processo”.

Telma cobrou o motivo do reajuste estar acima da inflação, a contrapartida prevista pela Administração Municipal, se houve aumento de peças e substituição da frota, a ausência de linhas extras em operação nos horários de pico e informações determinantes para o cálculo do valor da passagem, como o número de passageiros que utilizaram o serviço em 2017 e 2018, o percentual de reajuste no preço do combustível e o índice de reajuste salarial dos funcionários, além da quantidade de veículos climatizados.

Leia também

DOCUMENTÁRIO SOBRE RESISTÊNCIA PORTUÁRIA TEM SESSÃO ESPECIAL NO CINE ROXY

Ver mais

TELMA CRIA POLÍTICA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Ver mais

RETROCESSO NA POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA

Ver mais